Código fonte da urna eletrônica pode ser liberado pelo TSE



Não é de hoje que especialistas em segurança da informação, hackers e curiosos colocam em dúvida a segurança das urnas eletrônicas que são utilizadas nas eleições do Brasil, e isso não é nenhuma teoria da conspiração ou ser paranoico, afinal qualquer sistema eletrônico digital, pode conter falhas de segurança, que se explorada pode conceder privilégios ou até mesmo controle do sistema por parte de um invasor.

Até o momento a única garantia que o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) que é a maior autoridade no quesito eleição, da aos brasileiros sobre a segurança das urnas eletrônicas, é um teste de segurança que o próprio TSE propõe a pesquisadores de segurança (hackers) todo ano de eleição, porém esse teste não permite que o hacker utilize tudo o que quiser ou tenha acesso irrestrito a urna, o TSE controla o que pode ou não ser feito nos testes, e mesmo assim, nesse ano (2018) um pesquisador ainda conseguiu encontrar duas falhas na urna que segundo o TSE, uma exploração seria impraticável já que o invasor teria que gastar um bom tempo abrindo a urna e explorando a falha, mas de qualquer forma é óbvio que só esse teste não garante que as urnas sejam invioláveis e os votos não sejam comprometidos.

Apesar dos testes das urnas continuarem sendo monitorados e controlados, ao que parece, o TSE pretende deixar a segurança da urna eletrônica um pouco mais transparente, durante o evento de cibersegurança Mind The Sec, que ocorreu na última quarta-feira (19/09) em São Paulo, o chefe de seção de voto informatizado Rodrigo Coimbra comentou que o TSE tem planos, de liberar publicamente o código fonte das urnas eletrônicas na Internet, segundo Coimbra, não é possível estipular uma data para que isso aconteça mas: “A gente está na fase inicial de analisar a viabilidade. Estamos trabalhando para permitir isso”. Um dos pontos que impedem a divulgação do código fonte, seria a exposição que a empresa privada que desenvolve e mantém o código teria, o que poderia fazer com que a mesma virasse alvo de ataques digitais.

Caso o TSE venha mesmo liberar o código fonte das urnas publicamente, hackers de todo o mundo poderão estudar e compreender melhor como é o funcionamento da urna quanto a registro e armazenamento de voto, apuração, memória dentre outras rotinas que são utilizadas na programação da urna eletrônica. Com isso seria possível procurar falhas no código que permitam uma fraude, além é claro do desenvolvimento do exploit para a falha caso haja.

Claro que a fragilidade de um voto digital, não esta apenas na urna eletrônica, mas também em todo o sistema e rede utilizado para a apuração dos votos, afinal desde o seu voto na urna, até ele chegar aos computadores do TSE que fazem a apuração, são apenas bits, que podem ser modificados na própria urna, no pendrive de apuração, ou até mesmo na rede utilizada para transmissão e recepção dos votos, mas de qualquer forma, a liberação do código fonte já é um bom começo para tornar tudo mais transparente.

Gostou dessa notícia? Então comente e compartilhe ;-)!!!

2 Comentários para “Código fonte da urna eletrônica pode ser liberado pelo TSE”

23 de setembro de 2018 ás 8:57hs

Bom mais queria saber mais sobre como posso ser um hacker

Deixe seu Comentário

Comentários Recentes

  • Elissandra: Alguem pode me ajudar. Ontem a amiga do meu...
  • Leandro: Ola parabéns, Estou com vcs nessa luta m...
  • patrick: gostaria de saber como faço para descobrir ...
  • Vera Vieira: Podia ter para o j8...
  • Paulo Tacio: Como o malware que esta no cabo explora fal...

Galeria de Imagens

Ver mais imagens